BBC Brasil Intervista a Marco Dimitri

O satanista mais famoso da Itália, Marco Dimitri, disse em uma entrevista ? BBC Brasil que o Vaticano e o Estado italiano est?o usando a idéia do diabo para espalhar o medo no país.
“A Igreja quer espalhar o medo, usando a imagem do satanás deles, um satanás que n?o existe nem mesmo na Bíblia. Querem fazer entender que há uma personificaç?o do mal, mas isso n?o é verdade”, afirma ele.
Dimitri argumenta que tanto igreja como governo est?o perdendo tempo e dinheiro lutando para barrar o crescimento “das forças obscuras no país”.
Recentemente o tema se tornou corrente na imprensa italiana, com destaque para a condenaç?o de membros de uma banda por “assassinatos em rituais satânicos” e a criaç?o pelo Vaticano de um curso de exorcismo.

Para o satanista, o curso do Vaticano “é um sinal de desespero”.
Para Dimitri – que já esteve preso durante um ano e meio e acabou sendo inocentado das acusaç?es de estupro, profanaç?o de cadáveres e de ter usado um menino de tr?s anos num ritual satânico – as pessoas que combatem o satanismo na Itália t?m problemas psíquicos e est?o em perigo, porque s?o comandadas pelos exorcistas.
“N?o existe a possess?o do mal numa pessoa”, diz. “A desculpa está sendo utilizada para espalhar o terror, para incrementar nas pessoas o medo do diabo. É uma forma de terrorismo.”
Bambini
Aos 42 anos, Dimitri é presidente da seita Bambini di Satana (meninos de Satanás), criada por ele em Bolonha, no norte do país, em 1982, e considerado o único grupo satânico italiano a agir abertamente.
De acordo com ele, os outros grupos n?o trabalham como eles por medo de serem perseguidos, ou presos.
A Bambini conta com uma página na Internet, na qual trabalha como canal de informaç?o e associaç?o cultural. Ensina rituais de magia, que materiais e roupas devem ser utilizados, quem s?o os demônios.
Além de divulgar suas idéias, mostra o ponto de vista daqueles que combatem o satanismo na Itália, dizendo por que eles est?o equivocados. O site também vende camisetas, medalhas, revistas e livros.
“Somos satanistas, mas n?o somos sagazes do mal. Somos as eternas crianças de satanás, porque satanás é antimoral por excel?ncia”, disse. “Satanás n?o é o mal. É a consci?ncia de si mesmo.”
Ele se considera perseguido e odiado pelo Vaticano, porque exp?e publicamente suas idéias e é visto por milh?es de pessoas.
Segundo Dimitri, as recentes condenaç?es dos integrantes da Bestas de Satanás, grupo satânico que causou comoç?o no país, depois de revelarem que teriam assassinado pelo menos tr?s de seus integrantes e levarem ao suicídio um outro, n?o impedirá o crescimento do satanismo no país.
“Os integrantes da Bestas tiveram problemas com drogas”, afirma. “Eu sou um satanista, mas n?o posso dizer que eles sejam satanistas. N?o vejo nenhuma forma cultural no modo que eles operam. Eles integram um tipo de satanismo proposto pela Cúria. Como n?o agem em nome de Deus, n?o se pode dizer que a Igreja é assassina”.
Dimitri diz que seu grupo conta com 1,2 mil integrantes, todos italianos, homens e mulheres maiores de 18 anos. Para ele, 2004 foi um ano muito bom e 2005 deve ser ainda melhor para divulgar o trabalho da sua seita.
Segundo o presidente da Bambini di Satana, o Vaticano precisa preocupar-se com o crescimento do paganismo.
Na avaliaç?o de Dimitri, a Igreja n?o está sendo inteligente em tentar obstruir o trabalho dos satanistas. Deveria agir sem desespero e entender por que perde força em nível filosófico.
A Bambini, de acordo com ele, professa o satanismo puro e n?o oferece qualquer perigo.

 

 

Categorie
Interviste Estere

Detective presso Computer Crime Research Center. Investigazioni Roma. Ingegneria Elettronica e delle Telecomunicazioni Seminario Analisi del Crimine Violento Università di Roma
Nessun Commento

Replica al Commento

Per commentare come utente registrato puoi connetterti tramite:




*

*

Preti Pedofili
Libere Donazioni
Ultimi Commenti

TI POTREBBE INTERESSARE